Amamentação – atenção aos percalços!

por Fernanda Barreto e Joana Brazil

Amamentação é assunto que pode gerar muita confusão. Tem sempre uma opinião, um conselho e uma mandinga.

Antes de ter meu filho, minha única preocupação era se teria leite, pois conhecia alguns casos de pessoas próximas que não tinha conseguido amamentar, por terem pouco leite e este ter secado muito cedo. Qual não foi minha surpresa no dia da apojadura (quando desce o leite), vendo aqueles peitos enormes, que pareciam não me pertencer, jorrando leite à menor encostada, e completamente duros, empedrados, logo de início.

Eu não tinha muito conhecimento a respeito, e fiquei bastante assustada. A partir dali, iniciaria uma sequência de dificuldades, pesquisas e muito choro, que por fim resultaria em um desmame precoce, ocasionado por uma combinação de alguns fatore: uma jornada verdadeiramente difícil, com muitos problemas; falta de informação prévia para lidar com os problemas assim que eles aparecessem e; falta de uma rede de apoio que segurasse minha mão, que me dissesse que era possível e me ajudasse a perseverar.

Hoje me sinto angustiada quando sei de pessoas passando pelas mesmas dificuldades que eu passei, e decidi listar aqui alguns dos problemas por que passei, a fim de trazer uma luz que possa ajudar quem ainda passa ou está prestes a passar por isso. Compartilho neste texto o que aprendi na minha curta, porém intensa saga de amamentação.

Ressalvo que não sou médica nem da área de saúde, logo, por favor, se tiver escrito algo questionável, ou se as leitoras tiverem mais dados a acrescentar, por favor, o façam nos comentários.

Empedramento das mamas

É quando partes do peito ficam duras podendo aparecer caroços. Aqui, o que vai ajudar é o bebê sugar até esvaziar as mamas. Se não for possível isso, tem que ordenhar (com bomba elétrica, manual ou com as mãos – veja aqui um vídeo de como ordenhar com as mãos). O empedramento pode causar febre, nesse caso, ela costuma ser branda e não é necessário antibiótico, só com a ordenha costuma reverter. Algumas pessoas recomendam compressa gelada também. Mas é preciso ter cuidado, pois pode desestabilizar a produção, diminuindo a quantidade de leite.

O que é preciso ficar muito atenta ao empedramento é que ele pode levar a uma mastite, que pode ser muito mais grave…

Mastite

É quando o leite empedrado progride para uma infecção, nesse caso a febre é alta e é necessário usar antibiótico. Geralmente aparecem manchas e, às vezes, listras vermelhas no peito e muita sensação de calor e ardência. Outro sintoma é dor na mama, especialmente no “quadrante” que está infeccionado. A febre pode ultrapassar os 39 graus e é, normalmente, acompanhada de calafrios.

Para muitas pessoas, o primeiro sintoma é um empedramento que não melhora com a mamada ou ordenha. Para outras pode ser a dor e/ou a febre. Também é comum o leite ficar mais salgado. Em todos os casos, é importante atenção imediata porque a mastite pode se tornar um abcesso. Se isso acontecer, será necessário drenar. O ginecologista-obstetra pode fazer isso no consultório mesmo (foi o meu caso). Ele faz um pequeno corte e tira o pus… Sempre vai ser necessário o uso de antibiótico para debelar a infecção, também. O abcesso é perigoso, é preciso cuidar o mais rápido possível!

Ao contrário do que muita gente imagina, quando se tem uma mastite o mais importante (após atenção médica) é manter a amamentação. Aliás, quanto mais mamadas, melhor! O médico irá passar um antibiótico compatível com a amamentação e não tem a menor chance da infecção passar para o bebê. Esvaziar as mamas com o bebê e ordenha é o que mais irá aliviar os ductos infeccionados então, por mais que seja difícil (e é, muito!) continue com a livre demanda.

Se encontrar um banco de leite próximo, mesmo que já esteja medicada pelo seu médico, procure! Elas são treinadas para massagear a área com um vigor que, dificilmente, você conseguirá fazer sozinha mas que ajuda muito a liberar a área infeccionada.

Rachaduras e Fissuras

O nome já diz tudo. Podem ser mais brandas ou até mesmo sangrar. Não importa muito, o melhor aliado é o banho de sol, o topless, e vale buscar um consultor de amamentação, como o banco de leite da sua cidade ou uma enfermeira especializada. Muitas vezes os ferimentos são causados porque o bebê está pegando o bico de forma errada. Algumas pomadas podem ser usadas, embora o Instituto Fernandes Figueira (IFF) desaconselhe fortemente o uso de qualquer tipo de pomada, mamão, etc., por propiciarem a proliferação de cândida no mamilo e entupirem os ductos, o que pode causar empedramentos ou, até mesmo, uma mastite.

Acertando a pega do bebê mesmo o seio machucado deve parar de doer (na teoria). O IFF e a maioria dos profissionais irão também desaconselhar a utilização dos bicos de silicone. Uma consultora me falou uma vez que amamentação não é para doer. Se estiver doendo, tem alguma coisa errada.

Cândida (Candidíase, Monília, Sapinho)

A cândida é aquele fungo maldito que dá candidíase e sapinho… Ela também pode aparecer no mamilo e dói pra burro! Ela é  super comum e, normalmente, se tá doendo o dar de mamar e o bebê tá pegando certo pode apostar que tem muita chance de ser cândida.

Geralmente associado ao excesso de umidade (conchas com leite acumulado, absorventes de seio não trocados com a frequência certa, etc.). Dói como fisgadas, e arde também. Pode passar para o bebê (ou o bebê passar para você). Nos pequenos, é caracterizado por uma crostinha branca na boca. Parece com aquele acúmulo de leite, mas não sai se passar o dedo ou uma gaze.

Geralmente tratado com Nistatina e/ou Fluconazol (casos mais difíceis). Também pode ser utilizado o Daktarin gel oral, mas sempre sob orientação médica!

Acho que esses são os problemas mais comuns (ao menos são os com que me deparei). Deixo aqui o que aprendi com minhas múltiplas visitas ao IFF, conversas com grupos de apoio e consultoras de amamentação. Ressalvo novamente que não sou médica nem da área da saúde, portanto fiquem à vontade para dar suas outras opiniões a partir da experiência de vocês.

Em tempo: compressas mornas nunca são recomendáveis! É muito comum recebermos essa indicação de parentes ou conhecidos: colocar compressa ou água morna nas mamas para desempedrar o leite – isso porque os empedramentos costumam ser causados por excesso de leite nos ductos, e o calor pode realmente ajudar a desfazê-los. O que muita gente não sabe é que, em contrapartida, o calor também estimula a mama a produzir mais leite, podendo por fim ocasionar ainda mais empedramentos, ou até mesmo fazê-los evoluírem para mastite, em um ciclo difícil de combater.

Compressas ou mesmo folhas de repolho geladas, além do uso de conchas e de pomadas de lanolina como Lansinoh podem ser recomendadas por alguns, mas o IFF desaprova. Os melhores aliados comprovados são o banho de sol e o topless.

É fato que nem todos os problemas com amamentação podem ser resolvidos, mas procurar ajuda nessas horas é fundamental. O apoio é um elemento importantíssimo para ajudar a equilibrar o psicológico da mãe, sem o qual a amamentação não acontece. Além do apoio da família, amigos e outras mães, não deixe de utilizar os serviços disponíveis em todo seu potencial. Qualquer dúvida ou problema, procure-os!

Se você mora no Rio de Janeiro, o Instituto Fernandes Figueira é referência internacional em aleitamento materno e possui uma ótima estrutura de atendimento: é só ligar e marcar sua consulta. Normalmente, eles marcam para o dia seguinte. Se for um caso urgente, como uma mastite, ligue logo cedo que encaixam no mesmo dia. Na dúvida, simplesmente apareça lá.

Os contatos do IFF, são:
Tel: (21) 2554-1700. Av. Rui Barbosa, 716 – Flamengo, Rio de Janeiro – RJ.
http://www.iff.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?tpl=home

No site tem uma lista com outros bancos de leite humano no Brasil todo. Bons de visitar em qualquer dificuldade, e também para consulta quanto a doação de leite, congelamento, ordenha, etc.

Outra fonte de informação e apoio é o Grupo Virtual da Amamentação (GVA), no Facebook. As moderadoras são experientes e cada postagem tem uma moderadora responsável, além da ajuda de outras pessoas que podem ter vivido ou estar vivendo problemas similares ao seu. Um ombro amigo é sempre bem-vindo nessas horas!

Boa sorte e muito leite para todas!

Anúncios
Esse post foi publicado em Amamentação, Dificuldades e inseguranças, Fernanda Barreto, Outras. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Amamentação – atenção aos percalços!

  1. Tacy disse:

    No Reino Unido recomendaram a compressa quente ou usar o chuveiro para massagear antes de amamentar. Eu tive mastite e bicos rachados. Mas foi só nos 2 primeiros meses. Depois passou e eu amamentar até os 15 meses. Mas aqui tem muito mais apoio e profissionais que entendem de amamentação te acompanham em casa por umas semanas quando sai da maternidade. Informação, apoio e vontade. É só persistir que fica muito mais fácil com o tempo. Bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s